Colesterol

Colesterol alto

O colesterol alto é responsável por 2,4 milhões de mortes, além de causar um terço das doenças cardíacas no mundo. Ele é um composto químico gorduroso fundamental para o funcionamento do organismo que é produzido pelo fígado e também obtido pela alimentação. Existem diferentes tipos de colesterol, cada um tem uma função específica, veja quais são:

HDL – conhecido popularmente como “bom colesterol”. O HDL é responsável por transportar as gorduras de dentro das artérias até o fígado, de onde serão eliminadas do organismo.

LDL – conhecido como “mau colesterol”. Em níveis mais altos, o LDL pode acumular nas artérias e bloqueá-las, impedindo a passagem de sangue e causando uma série de complicações.

VLDL – é um tipo de colesterol que transporta mais triglicérides (outro tipo de gordura presente no sangue) do que colesterol. Os níveis mais altos de VLDL podem causar acúmulo de gordura nas artérias, o que também aumenta os riscos de doenças cardíacas.

O colesterol alto pode causar algumas doenças e complicações, que são as seguintes:

  • Acidente vascular cerebral (AVC);
  • Infarto;
  • Pressão alta;
  • Entupimento de veias e artérias;
  • Insuficiência cardíaca.

Fatores de risco do colesterol

Fatores não controláveis

  • Idade e sexo – o risco de ter colesterol alto aumenta com a idade, principalmente em mulheres após a menopausa;
  • Etnia – pessoas negras e asiáticas têm mais chances de ter colesterol alto;
  • Histórico familiar – os níveis de colesterol no sangue podem ser mais altos por um fator genético e a pessoa pode ter este problema desde a infância.

Fatores controláveis

  • Obesidade;
  • Tabagismo;
  • Sedentarismo;
  • Maus hábitos alimentares;
  • Pressão alta;
  • Diabetes.

Prevenção do colesterol alto

Adotar hábitos mais saudáveis pode ajudar na prevenção do colesterol alto. Veja o que deve ser feito regularmente e que também ajuda a prevenir vários outros problemas de saúde:

Praticar exercícios físicos – deixar o sedentarismo de lado e começar a fazer exercícios físicos é uma boa maneira de evitar o colesterol alto. Mas é importante consultar o médico para saber quais exercícios são mais indicados e se você tem alguma limitação.

Ter uma alimentação saudável – comer mais frutas, verduras e legumes, além de evitar alimentos gordurosos, com muito sal, açúcar em excesso e frituras pode ajudar na prevenção do colesterol alto.

Vá ao médico regularmente – ir ao médico e fazer os exames que ele pede é a única forma de acompanhar os níveis de colesterol, o que ajuda a evitar complicações de saúde.

Pare de fumar – largar o cigarro ajuda não só a prevenir o colesterol alto, como também uma série de outras doenças, como o câncer de pulmão e enfizema.

Sinais e sintomas do colesterol alto

Não existem sinais e sintomas do colesterol alto, é um problema silencioso. Só é possível perceber algo quando causa algum problema de saúde mais grave, como o entupimento de veias ou um ataque cardíaco.

Diagnóstico do colesterol alto

O diagnóstico do colesterol alto é feito por meio exame de sangue para medir os níveis de LDL e VLDL.

Tratamento do colesterol alto

O tratamento do colesterol alto pode ser feito usando diferentes tipos de medicamentos:

Estatinas – bloqueia a substância que o fígado utiliza para produzir o colesterol, além de ajudar o corpo a absorver o colesterol que está nas paredes das veias e artérias.

Resina sequestrante de ácido biliar – o corpo usa o colesterol para produzir a bile, um ácido usado na digestão. Este tipo de medicamento faz com que o fígado use os níveis altos de colesterol para produzir mais bile.

Inibidores de absorção de colesterol – o intestino delgado é um dos órgãos responsáveis por absorver o colesterol dos alimentos e liberá-lo na corrente sanguínea. Este medicamento ajuda a bloquear a absorção do colesterol da alimentação, o que o faz ser eliminado pela digestão.

Além de medicamentos, o médico pode determinar a necessidade de adotar hábitos alimentares mais saudáveis e de fazer exercícios físicos regularmente depois de avaliar suas condições físicas.

Nunca se automedique, mesmo que algum parente ou amigo tenha usado um determinado medicamento para tratar um problema semelhante. Cada caso é um caso e só o médico pode definir qual o melhor tratamento para você.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1141

Cadastre-se