Tai chi chuan ajuda a evitar complicações da fibromialgia

Fibromialgia – mulher praticando tai chi chuan – Mais Pfizer

Tai chi chuan ajuda a evitar complicações da fibromialgia

Pessoas com fibromialgia que são sedentárias tendem a sofrer mais com as dores do que aquelas que se exercitam regularmente. Porém, alguns exercícios físicos podem não ser recomendados, pois trazem grande impacto nas articulações afetadas pela doença. Descubra como a prática do tai chi chuan pode ser uma boa opção para se manter ativo e ainda ajudar a evitar as complicações da fibromialgia.

O que é tai chi chuan?

O tai chi chuan, ou tai chi, é uma arte marcial chinesa, mas não se preocupe, não tem nenhum combate envolvido. A prática foca na respiração enquanto faz exercícios com os braços e as pernas, é conhecida como uma forma de meditação em movimento.

O tai chi não causa impacto nas articulações, sendo uma das escolhas possíveis de exercícios físicos para quem deseja evitar as complicações da fibromialgia. Se você tem dores muito fortes nas pernas, por exemplo, existe uma forma de tai chi chuan que pode ser feita sentado.

Benefícios do tai chi chuan para quem tem fibromialgia

As pessoas com fibromialgia que praticam o tai chi chuan em sessões curtas semanais, de cerca de 40 minutos a uma hora, têm uma melhora nos sintomas da dor. O efeito e a sensação de bem-estar são parecidos com quem se alonga todos os dias.

Além disso, o tai chi traz benefícios para a saúde mental. Estima-se que cerca de 65% das pessoas com complicações da fibromialgia também sofram de depressão por conta das dores constantes. As sessões semanais de tai chi chuan podem melhorar os sintomas ligados à depressão e a ansiedade.

Outro benefício do tai chi chuan é evitar que as pessoas com fibromialgia fiquem dependentes de medicamentos para dor. Estima-se que até 69% de quem sofre da doença faça uso desse tipo de medicamento.

Outros exercícios físicos de baixo impacto para pessoas com fibromialgia

Além do tai chi chuan, quem sofre das complicações da fibromialgia também pode se beneficiar de outros exercícios físicos de baixo impacto. Alguns exemplos de práticas que ajudam no alívio dos sintomas da doença são:

Exercícios aeróbicos – o foco é manter sempre a respiração no mesmo ritmo, sem exigir que o corpo faça grandes esforços. Os exercícios aeróbicos, geralmente, trabalham músculos específicos de forma rítmica. Alguns são indicados para pessoas com fibromialgia, como:

  • Caminhada;
  • Ioga;
  • Danças;
  • Alongamentos.

Exercícios aquáticos – praticar exercícios aeróbicos dentro d’água ajuda a reduzir o peso e a consequente sobrecarga que os ossos podem sofrer, além de diminuir as chances de qualquer lesão nos músculos. Veja alguns exercícios que podem ser indicados para quem tem fibromialgia:

  • Hidroginástica;
  • Natação;
  • Exercícios de força e equilíbrio.

Reeducação postural global – também conhecido como RPG, é uma técnica de fisioterapia que busca melhorar a postura ao alongar os músculos do corpo. Entre os benefícios do RPG, estão a melhora no equilíbrio, e correção da postura.

Musculação – em alguns casos, os exercícios físicos envolvendo o levantamento de pesos podem ser indicados para pessoas com fibromialgia. Eles ajudam a fortalecer os músculos, o que pode aliviar algumas das dores causadas pela doença. Porém, é preciso seguir a recomendação médica quanto à musculação, para evitar que você passe do limite e faça os sintomas piorarem.

Atenção: antes de começar a praticar qualquer tipo de exercício físico, é importante conversar com seu médico. Ele poderá indicar qual é a melhor prática e frequência para que você não exija muito do seu corpo. E lembre-se, caso sinta dores, pare, não ultrapasse o seu limite físico.

Já conhece o Programa Mais Pfizer?

Esse conteúdo faz parte do Programa Mais Pfizer e tem o objetivo de oferecer informações para uma vida mais saudável. O Programa Mais Pfizer facilita o acesso e incentiva que o paciente siga o tratamento que foi prescrito pelo médico.

Saiba mais sobre o Programa Mais Pfizer.

Referências


PP-PFE-BRA-1875

Mais Pfizer
4 setembro, 2019

CONTEÚDO RELACIONADO

Cadastre-se