Reeducação alimentar ou regime: o que é a mais indicada para meu caso?

Mulher decidindo em fazer reeducação alimentar – Mais Pfizer

Reeducação alimentar ou regime: o que é a mais indicada para meu caso?

A reeducação alimentar e os regimes - que são tipos de dietas restritivas, como a low carb (pobre em carboidratos) - são opções para quem busca emagrecer, mas há grandes diferenças entre elas. É importante conhece-las para não ter o efeito oposto ao desejado, ou seja, colocar a saúde em risco e voltar a ganhar rapidamente os quilos tão arduamente perdidos e até mais alguns.

Quais são as diferenças entre reeducação alimentar e regimes?

Quando você sabe quais são as diferenças é possível perceber qual se adequa melhor aos seus objetivos e necessidades. Veja:

Tempo de duração – esse fator é uma das primeiras diferenças entre reeducação alimentar e regime.

  • Regime – há diversos tipos de dietas restritivas, mas, geralmente elas têm duração pré-estabelecida ou são mantidos até que o objetivo inicial seja alcançado.
  • Reeducação alimentar - é uma mudança progressiva nos hábitos alimentares pois vai, pouco a pouco, adaptando e ensinando a pessoa a como se alimentar corretamente para ter uma melhor qualidade de vida e prevenir uma série de problemas de saúde, como pressão alta e diabetes. Por isso, é possível manter esse tipo de alimentação por toda a vida.

Tipo de cardápio – o tipo de alimentação para quem escolhe cada uma das opções é bem diferente.

  • Regimes - costumam ser restritivos, ou seja, reduzem drasticamente o consumo de alguns tipos de alimentos, como as gorduras ou carboidratos, dependendo do tipo de dieta escolhida. Por isso, dificilmente as pessoas conseguem se manter neles por muito tempo.
  • Reeducação alimentar - você vai aprender quais tipos de alimentos deve incluir no dia a dia e as quantidades ideais de carboidratos, proteínas, gorduras, de acordo com o seu objetivo e necessidade. É possível perder peso, assim como diminuir o nível de colesterol, sem colocar sua saúde em perigo.

Resultados – reeducação alimentar e dieta podem dar resultados bem diferentes.

  • Regimes – a alimentação se adequa para atingir um objetivo em determinado prazo. Por isso, traz resultados mais rápidos. Mas, o que normalmente acontece é, após chegar no objetivo, as pessoas voltam à alimentação anterior e, consequentemente, voltam os quilos perdidos ou mais alguns ainda e a saúde fica prejudicada.
  • Reeducação alimentar – como você muda seus hábitos alimentares, o que não inclui restrições e sim adaptações, os resultados aparecem em médio a longo prazo. Mas é possível mantê-los indeterminadamente, pois a alimentação saudável passa a fazer parte da rotina.

Atenção – antes de iniciar qualquer tipo de dieta ou reeducação alimentar, consulte um médico e um nutricionista. Só eles podem orientar para que você chegue no seu objetivo sem prejudicar a saúde.

Dicas de como incluir a reeducação alimentar na rotina

  • Escolha alimentos naturais, por exemplo, frutas, verduras e legumes que não tenham sido modificados do seu estado original. Ou, então, prefira os minimamente processados;
  • Evite os alimentos muito processados, como biscoitos, pratos prontos e macarrão instantâneo;
  • Coma todo dia cereais (preferencialmente os integrais), feijões, frutas, legumes, verduras;
  • Também inclua na alimentação diária leite e derivados, carnes vermelhas, aves e peixes, mas todos com pouca gordura;
  • Use pouquíssima quantidade de óleos, gorduras, sal e açúcar para preparar ou temperar a comida;
  • Evite frituras, prefira alimentos cozidos (no vapor é melhor) ou assados;
  • Quando comer fora, escolha lugares que preparem a comida na hora;
  • Faça as refeições regularmente, nos mesmos horários, em lugares tranquilos e limpos, concentrando-se no que está fazendo, não em outras atividades, como assistir televisão ou trocar mensagens no celular.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1664

13 maio, 2019

CONTEÚDO RELACIONADO

Cadastre-se