Qual é o papel da família do paciente com Alzheimer?

Pai e filho assistindo a um vídeo no tablet

Qual é o papel da família do paciente com Alzheimer?

Os familiares são fundamentais para que o portador de Alzheimer consiga lidar da melhor forma possível com as mudanças que a doença causa. Além disso, em 70% dos casos, é um familiar que exerce a função de cuidador do paciente, o que torna ainda mais importante como ele pode contribuir para que a pessoa com a doença tenha uma melhor qualidade de vida. Continue a leitura e entenda como você pode ajudar um familiar com Alzheimer.

Como a família do paciente com Alzheimer deve lidar com a doença?

Além da perda de memória, o Alzheimer afeta as capacidades físicas e de entendimento do paciente. A doença é responsável por cerca de 60% dos casos de demência em todo o mundo e evolui aos poucos. O acompanhamento e a adaptação familiar são importantes para as novas necessidades do paciente.

Aceite o diagnóstico – aceitar a doença é difícil. Mas, quando se entende o diagnóstico, fica mais fácil pesquisar informações úteis que vão ajudar toda a família a achar as melhores soluções, garantindo que o paciente seja tratado com dignidade e respeito.

Rede de apoio – além da família do paciente com Alzheimer, amigos próximos e equipe médica devem agir em conjunto nos cuidados. Uma rede de apoio que conte com suporte médico, social e emocional pode tornar a rotina menos desgastante tanto para a família quanto para o paciente.

Família do paciente com Alzheimer pode ajudar no dia a dia

Organização da rotina – ter uma agenda é importante para diminuir a confusão mental das pessoas com Alzheimer. Além de usar o calendário para contar a passagem dos dias com o paciente, estabeleça uma rotina, com horários certos para as atividades do dia a dia, como banho e alimentação. Repasse todo dia o que há para fazer com a pessoa enquanto ela ainda for independente, pois contribui para manter o senso de organização dela.

Lembranças – o Alzheimer vai apagando as memórias recentes e antigas do paciente. A família pode ajudá-lo criando um “banco de memória”, com fotos, músicas e documentos que ajudem trazer à tona algumas lembranças importantes. Isso também ajuda a reduzir sintomas da depressão.

Comunicação clara – com o avanço da doença, a comunicação com o paciente pode ficar cada vez mais difícil. Para auxiliar, fale de forma objetiva e escute o que ele tem a dizer, demonstrando respeito e paciência. Evite distrações e não fale em tom infantil. Encoraje a comunicação e evite fazer críticas.

Ambiente seguro – para manter a pessoa em segurança, evite o uso de objetos que possam dificultar a movimentação pela casa e provocar quedas, instale fechaduras em locais perigosos e coloque trava nos fogões.

Tratamento individualizado – cada paciente com Alzheimer reage à evolução dos sintomas de uma forma. Por isso, a família deve adaptar os cuidados para as necessidades que possam surgir.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1147

Mais Pfizer
9 agosto, 2018
Cadastre-se