Conheça as causas da fotofobia, a sensibilidade exagerada à luz

Mulher com fotofobia – Mais Pfizer

Conheça as causas da fotofobia, a sensibilidade exagerada à luz

Você já deve ter sentido um incômodo na vista ao passar de um ambiente escuro para outro muito iluminado. Embora todo mundo tenha alguma sensibilidade à luz, nas pessoas que sofrem de fotofobia essa característica é mais extrema. Quem tem a condição sente dor ou desconforto nos olhos quando exposto à claridade natural ou artificial e pode não a tolerar mesmo quando a intensidade da luz é moderada. Muitas vezes, a fotofobia é um sintoma de outros distúrbios. Confira as principais causas da fotofobia e opções de tratamento.

Doenças neurológicas e fotofobia

Enxaqueca - cerca de 80% das pessoas que sofrem de enxaqueca têm fotofobia. Elas ocorrem juntas com tanta frequência que a fotofobia, mesmo quando não acompanhada de dor de cabeça, pode receber o diagnóstico de enxaqueca.

Blefaroespasmo - distúrbio em que a pálpebra contrai de forma involuntária, fazendo com que a pessoa pisque sem parar. Segundo estudos, quatro em cada cinco pessoas com blefaroespasmo têm sensibilidade anormal à luz. E a fotofobia, por sua vez, pode agravar essa condição. 

Outras condições neurológicas - tumores da hipófises e meningite (inflamação do revestimento do cérebro) também podem causar esse sintoma.

Problemas oculares e fotofobia

A síndrome do olho seco também está entre as principais causas da fotofobia. E várias outras condições oculares estão associadas a esse sintoma, tais como:

  • Inflamações nos olhos (uveíte, blefarite, irite, conjuntivite);
  • Doenças na retina;
  • Doenças da córnea.

Transtornos psiquiátricos e fotofobia

Pessoas que sofrem de certos transtornos de humor ou de ansiedade tendem a ser mais sensíveis à luz, principalmente os seguintes: 

  • Depressão;
  • Transtorno bipolar;
  • Síndrome do pânico;
  • Agorafobia;
  • Transtorno afetivo sazonal.

Tratamento da fotofobia

Se você tem sintomas de fotofobia, consulte um oftalmologista. O passo mais importante para combater o problema é identificar e tratar a causa. Se estiver relacionado à enxaqueca, por exemplo, tratar as crises pode oferecer alívio a esse tipo de sensibilidade. Se a origem for olhos secos, manter colírios à mão pode minimizar o quadro – e assim por diante.

Confira outras dicas para reduzir o incômodo com a luz:

  • Proteja os olhos da luz solar - use óculos de sol com proteção ultravioleta enquanto estiver ao ar livre.
  • Não viva no escuro - se a luz agride seus olhos, pode ser tentador evitá-la a todo custo. Entretanto, viver na escuridão pode piorar sua fotossensibilidade. Se você tem limitado sua exposição à claridade, aumente pouco a pouco a iluminação do ambiente para aumentar sua tolerância.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1557

17 dezembro, 2018

CONTEÚDO RELACIONADO

Cadastre-se