A dor voltou! Meu tratamento não está funcionando?

A dor voltou! Meu tratamento não está funcionando?

A dor causada pela fibromialgia é crônica e modifica todos os aspectos da vida de quem sofre com ela. Por ser uma doença que o acompanhará por muitos anos, o objetivo principal do tratamento é ajudar no controle dos sintomas e, consequentemente, aumentar sua qualidade de vida e autonomia pessoal.

Como os sintomas da síndrome da fibromialgia (FM) são diversos, o tratamento é individualizado. O médico dará recomendações de acordo com as suas queixas e efetuará o acompanhamento para determinar se elas são ou não eficientes para você. Além de reduzir a dor, o objetivo do tratamento é aliviar os sofrimentos secundários decorrentes da FM, como os distúrbios do sono, a fadiga, o mau humor e, em alguns casos, a depressão.

Apesar de medicamentos como relaxantes musculares e antidepressivos ajudarem no alívio dos sintomas da FM, grande parte do tratamento é não-medicamentoso. O tratamento mais eficiente para combater a síndrome inclui a prática de exercícios aeróbicos, ou seja, aqueles em que você movimenta o corpo todo e aumenta as atividades cardíaca e respiratória.

Além de seguir o tratamento medicamentoso à risca e praticar atividades físicas de acordo com a recomendação do seu médico, você pode experimentar os benefícios da terapia cognitiva comportamental. As sessões de terapia podem te ajudar a tornar as dores do dia a dia menos incapacitantes e, principalmente, aliviar possíveis quadros de depressão e ansiedade.

E se a dor voltar?

Mesmo com todos esses cuidados, a dor da fibromialgia pode aumentar de intensidade a qualquer momento. Caso isso aconteça, retorne ao seu médico e peça para que seja realizada uma reavaliação do seu caso. Pode ser que você precise reajustar os medicamentos ou pode até mesmo ser uma crise mais intensa.

Tenha em mente que o tratamento da fibromialgia é multidisciplinar e depende muito da sua postura. Com mudanças de hábitos e um acompanhamento próximo de médicos e profissionais qualificados, é possível ter mais qualidade de vida e bem-estar.

Referências:

José Oswaldo de Oliveira Júnior e Mauro Brito de Almeida – “O tratamento atual da fibromialgia”. Disponível em: https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2595-31922018000300255&script=sci_arttext&tlng=pt. Acesso em 31/07/2020.

Sociedade Brasileira do Estudo da Dor – “Quando a dor se torna doença em si”. Disponível em: https://sbed.org.br/wp-content/uploads/2019/01/01_quandoadorsetorna.pdf. Acesso em 31/07/2020.

Ministério da Saúde – “Fibromialgia: os desafios de uma doença invisível”. Disponível em: http://www.blog.saude.gov.br/index.php/materias-especiais/52386-fibromialgia-os-desafios-de-uma-doenca-invisivel. Acesso em 31/07/2020.

Sociedade Brasileira de Reumatologia – “Tratamento da Fibromialgia”. Disponível em: https://www.reumatologia.org.br/orientacoes-ao-paciente/tratamento-da-fibromialgia/. Acesso em 31/07/2020.

Sociedade Brasileira de Reumatologia – “Fibromialgia e doenças articulares inflamatórias”. Disponível em: https://www.reumatologia.org.br/doencas-reumaticas/fibromialgia-e-doencas-articulares-inflamatorias/. Acesso em 31/07/2020.

PP-PCU-BRA_0077 – setembro/2020

4 setembro, 2020
Cadastre-se