Dicas para fortalecer a imunidade e prevenir doenças

Ingerir vitamina C e fazer exercícios físicos estão entre os hábitos que podem fortalecer a imunidade – Mais Pfizer

Dicas para fortalecer a imunidade e prevenir doenças

O sistema imunológico é a defesa natural do corpo, que atua no combate a vírus, bactérias, fungos e outros invasores nocivos. Mas, às vezes, essa proteção falha, e é aí que você fica doente. Adotar hábitos saudáveis pode ajudar a fortalecer a imunidade e diminuir suas chances de ter problemas de saúde – de resfriados comuns a ameaças mais perigosas. Confira algumas dicas.

Alimentação e imunidade

Para preservar a saúde, é essencial ter uma alimentação equilibrada e beber bastante líquido. Confira as principais vitaminas e minerais que seu sistema imunológico precisa para ter um bom funcionamento:

Vitamina A - é encontrada naturalmente em alimentos de origem animal, como fígado, laticínios e peixe. Também vale a pena apostar nos alimentos ricos em carotenoides, que são convertidos em vitamina A no organismo. Boas fontes incluem cenoura, batata-doce, abóbora e melão.

Vitamina B6 - você pode conseguir esse nutriente comendo grão de bico, vegetais verdes, banana, frango, salmão, atum, entre outros alimentos.

Vitamina C - é uma das principais aliadas do sistema imunológico. Inclusive, a falta de vitamina C pode tornar você mais propenso a adoecer. O nutriente pode ser encontrado em frutas cítricas (por exemplo, laranja, toranja, tangerina e limão), morango, pimentão, espinafre, couve e brócolis.

Vitamina E – opções de alimentos ricos em vitamina E incluem oleaginosas (noz, amêndoa, amendoim, avelã e sementes de girassol), espinafre e brócolis.

Vitamina D - geralmente, é melhor obter as vitaminas e minerais a partir dos alimentos, mas a vitamina D é uma exceção a essa regra. Embora possa ser encontrada em peixes gordurosos (como salmão, atum e sardinha), leite fortificado e alguns outros alimentos, é difícil conseguir a quantidade adequada desse nutriente só pela alimentação. Pergunte ao seu médico se você pode se beneficiar de um suplemento.

Ferro - carne vermelha, peixe, feijão, brócolis e couve são fontes importantes desse nutriente essencial para a manutenção do sistema imunológico.

Selênio - existem evidências de que o selênio tem um efeito poderoso sobre o sistema imunológico. Você pode encontrá-lo no alho, pão francês, castanha-do-pará, ovo, repolho e outros alimentos. 

Zinco - feijão, frutos do mar, frango e iogurte são boas fontes de zinco, mineral que ajuda a reforçar as defesas do corpo.

Exercícios e imunidade

Você tem um resfriado atrás do outro? Sente-se cansado o tempo todo? Você pode se sentir melhor se fizer caminhadas diárias ou seguir uma rotina de exercícios algumas vezes por semana. Os exercícios físicos são essenciais para uma boa saúde geral, mas não se sabe exatamente de que maneira esse hábito contribui para fortalecer a imunidade. Uma possível explicação é que “suar a camisa” promove a boa circulação das células do sistema imunológico, o que as permitiria detectar infecções mais rapidamente.

Sono e imunidade

A privação de sono pode afetar a resposta imune e aumentar as chances de você ficar doente. Também pode atrasar sua recuperação em caso de doença. A principal causa desse efeito é a diminuição da citocina, proteína produzida durante o sono que ataca infecções e inflamações.

Assim, um passo importante para ter um mecanismo de proteção mais eficiente é dormir as sete a oito horas de sono por noite recomendadas. Isso também ajudará a evitar outros problemas de saúde relacionados à falta de sono, incluindo doenças cardíacas, diabetes e obesidade.

Se o seu sono foi prejudicado ao longo de uma semana atribulada no trabalho ou por outros motivos, tente compensar o descanso perdido com cochilos ao longo do dia. Tirar duas sonecas de 20 minutos, uma em seu horário de almoço e outra antes do jantar, pode amenizar o impacto negativo das noites mal dormidas sobre seu sistema imunológico.

Estresse e imunidade

As emoções e a saúde física estão intimamente relacionadas. Uma prova disso é que, em períodos de estresse, as pessoas ficam mais propensas a contrair doenças – e isso é cientificamente comprovado. Quando o estresse é crônico ou de longo prazo, os efeitos sobre o sistema imunológico são ainda mais devastadores.

Depressão e isolamento social também são fatores que reduzem a imunidade. Ambos podem ser estressantes e, consequentemente, prejudicar a capacidade do corpo de combater infecções. Portanto, gerenciar o estresse emocional e cultivar bons amigos são medidas importantes para preservar a saúde.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1602

14 janeiro, 2019

CONTEÚDO RELACIONADO

Cadastre-se