Descolamento de retina pode levar à cegueira

Olho de pessoa com idade avançada, um dos fatores de risco para o descolamento de retina  – Mais Pfizer

Descolamento de retina pode levar à cegueira

O descolamento de retina é um problema ocular grave que, se não for prontamente tratado, pode causar danos permanentes à visão. A doença ocorre quando a retina – a camada de tecido que reveste o fundo do olho e que nos ajuda a enxergar – se desprende. Com isso, ela deixa de receber sangue e nutrientes e para de funcionar corretamente. Confira quais são os fatores de risco, sintomas e opções de tratamento para o descolamento de retina.

Quem corre maior risco de ter descolamento de retina

Algumas pessoas têm mais chances de desenvolver descolamento de retina. Você está nesse grupo se:

  • Tem mais de 50 anos;
  • Tem um grau alto de miopia;
  • Sofreu uma lesão grave nos olhos;
  • Já teve descolamento de retina;
  • Tem familiares que tiveram a doença;
  • É diabético;
  • Passou por cirurgia de catarata;
  • Tem outras doenças oculares, como glaucoma.

Sintomas do descolamento de retina

O descolamento de retina não dói, mas pode ser acompanhado de alguns sinais de alerta:

  • Moscas volantes - pontos escuros ou manchas flutuando no seu campo de visão;
  • Flashes de luz - clarões ou luzes piscando em um ou ambos os olhos;
  • Sombra escura - sensação de ter uma cortina ou véu no seu campo de visão;
  • Visão embaçada - você pode sentir que está enxergando cada vez pior.

Procure um oftalmologista imediatamente se você tiver um ou mais sintomas de descolamento de retina. Os distúrbios visuais descritos acima não significam necessariamente que você tem o problema ocular, só um profissional pode confirmar o diagnóstico.

Tratamento para o descolamento de retina

Se você tiver descolamento de retina, provavelmente precisará de uma cirurgia para recolocá-la na posição original. Existem vários métodos cirúrgicos para corrigir o problema, os mais comuns são os seguintes:

Introflexão escleral - nesse procedimento, uma peça de silicone é colocada no branco do olho (esclera) com o objetivo de pressionar o olho para mais perto da retina e contrabalançar a força que a puxa para fora do lugar. A peça não bloqueia sua visão e, geralmente, fica ali de forma permanente.

Retinopexia pneumática - nessa outra técnica, o oftalmologista injeta uma bolha de gás no interior do olho, empurrando a área da retina que está danificada. Depois da cirurgia, o gás é absorvido naturalmente pelo organismo, mas o médico pode pedir que você mantenha a cabeça em uma determinada posição por alguns dias e que evite certas atividades.

Vitrectomia - essa cirurgia é indicada para casos mais graves de descolamentos de retina. Nela, o cirurgião insere um instrumento bem fino no olho para remover o gel vítreo, pois esse fluido que preenche toda a cavidade do olho pode puxar a retina e causar o descolamento. No lugar, o médico injeta uma bolha de gás ou óleo de silicone. Esse último não dissolve por si só, você pode precisar de uma nova cirurgia para removê-lo. 

O que esperar após o tratamento para descolamento de retina

Seu oftalmologista decidirá qual procedimento ou combinação de procedimentos é melhor para o seu caso. O tratamento para descolamento de retina é bem-sucedido em mais de 90% dos casos, embora algumas pessoas não recuperem a visão perfeita. Muitas vezes, só é possível saber o resultado meses após a cirurgia. Mas lembre-se que quanto antes você buscar ajuda médica no aparecimento de sintomas, maiores as chances de salvar sua visão.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1536

7 janeiro, 2019

CONTEÚDO RELACIONADO

Cadastre-se