Cuidados especiais na alimentação dos idosos

Casal de idosos preparando alimentação saudável

Cuidados especiais na alimentação dos idosos

Ter hábitos alimentares saudáveis é importante em qualquer idade, mas, na velhice, o corpo precisa de mais nutrientes para permanecer forte e com saúde. Só que, para muitos idosos, comer bem é um verdadeiro desafio. Perda de apetite, dificuldade de mastigar e engolir e problemas digestivos são algumas das barreiras que dificultam manter a dieta adequada nessa fase da vida. Por isso, a alimentação dos idosos requer atenção especial, confira algumas dicas úteis.

Nutrientes que não podem faltar na dieta do idoso

A alimentação dos idosos deve ser bem variada para que possam obter todos os nutrientes de que precisam. Alguns tipos de alimentos não podem faltar nas refeições:

Carne ou outra fonte de proteína - a proteína é um nutriente essencial para manter os músculos fortes e garantir o bom funcionamento do corpo.

  • Porções diárias - duas a três;
  • Algumas opções - peixe, frango, ovos e feijão.

Frutas e vegetais - esses alimentos têm nutrientes vitais, como vitaminas, minerais e fibras, e auxiliam no combate a doenças.

  • Porções diárias - sete.
  • Algumas opções - brócolis, laranja, cenoura.

Alimentos integrais - contêm vários nutrientes, como a fibra, que estimula o funcionamento do intestino e previne a prisão de ventre, problema comum em idosos.

  • Porções diárias - seis a sete.
  • Algumas opções - arroz, pão e macarrão integrais.

Laticínios - são ricos em cálcio, essencial para a saúde dos ossos e prevenção da osteoporose.

  • Porções diárias – três.
  • Algumas opções - leite, iogurte e queijo

Existem outros nutrientes que não podem faltar na dieta do idoso, por exemplo o potássio e as vitaminas D, B6 e B12. É aconselhado o acompanhamento de um médico ou nutricionista, pois esses profissionais de saúde podem orientar conforme as necessidades específicas de cada pessoa.

Hidratação de idosos requer atenção

A água também é um nutriente importantíssimo para idosos, que são mais vulneráveis à desidratação. O problema que pode ser grave nessa fase. Como a sensação de sede diminui na velhice, quem está nessa faixa etária deve beber água mesmo sem sentir sede. A recomendação é de 8 a 12 copos de líquidos ao longo dia, exceto quando há restrição médica. Suco natural, sopa e chá também contam.

Tornar a refeição prazerosa contribui para a boa alimentação dos idosos

Com o envelhecimento, a habilidade de sentir cheiros e gostos diminui. E existem vários outros fatores que podem prejudicar o apetite na terceira idade – medicamentos, problemas dentários, questões emocionais, condições de saúde. Para contornar esse problema, é preciso lembrar que comida não é apenas sobre nutrição – as refeições devem ser prazerosas. Confira algumas dicas que podem estimular a vontade de comer dos idosos: 

  • Comer regularmente - é melhor comer de forma fracionada, fazendo várias refeições ou lanches menores ao longo do dia.
  • Fazer refeições em locais agradáveis - o ambiente deve ser limpo, arejado e bem iluminado.
  • Montar um prato atraente - para ser apetitosa, a comida deve ter uma aparência agradável, colorida e aromática. Mas evite exagerar nas porções.
  • Adicionar sabor - o sal deve ser restrito na dieta, porque pode causar pressão alta e doenças cardíacas. Mas isso não significa que a comida precisa ser sem graça. Capriche no sabor usando outros temperos na receita, como limão, alho, cebola e pimenta. Além disso, procure sempre variar o cardápio.
  • Comer com companhia - desfrutar de refeições com vizinhos, amigos e familiares é uma ótima estratégia para aumentar o prazer de comer.
  • Facilitar a alimentação - as mudanças fisiológicas que ocorrem nessa faixa etária podem dificultar a mastigação e deglutição. Se necessário, desfie, pique ou amasse os alimentos. Ou opte por caldos.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1536

4 janeiro, 2019

CONTEÚDO RELACIONADO

Cadastre-se