Artrite reumatoide

Artrite reumatoide

A artrite reumatoide (AR) atinge cerca de 2 milhões de brasileiros e surge, normalmente, entre os 30 e 60 anos. A doença não tem cura e causa inflamações dolorosas nas articulações. A inflamação costuma afetar as mesmas regiões nos dois lados do corpo. Se o punho direito é atingido pela inflamação, por exemplo, é bem provável que o mesmo aconteça com o esquerdo.

A doença é autoimune, o que significa que o sistema imunológico ataca, por engano, o próprio organismo. Quando a artrite reumatoide avança, ela pode deformar as articulações, o que faz com que a pessoa tenha mais dificuldade para fazer coisas que eram simples antes, como subir uma escada. A inflamação é sistêmica, ou seja, pode se espalhar e afetar outras áreas, como coração, pulmões, olhos e nervos.

Fatores de risco para artrite reumatoide

Existem alguns fatores que aumentam as chances de desenvolver a doença. Alguns não podem ser controlados, mas outros sim. Veja quais são os fatores de risco para artrite reumatoide:

Fatores não controláveis

  • Sexo – AR atinge duas vezes mais mulheres do que homens;
  • Idade – a maioria dos pacientes tem entre 30 e 60 anos;
  • Histórico familiar – ter parente de primeiro grau com AR aumenta o risco de desenvolver a doença em até 4,7%.

Fatores controláveis

  • Obesidade – pessoas obesas têm mais chance de desenvolver AR;
  • Tabagismo – não só fumar aumenta o risco de desenvolver a doença, mas também inalar a fumaça do cigarro. E as duas coisas podem piorar os sintomas da doença.

Sinais e sintomas da artrite reumatoide

Os principais sinais e sintomas da artrite reumatoide são:

  • Articulações doloridas, inchadas, avermelhadas e quentes;
  • Articulações rígidas, principalmente no período da manhã;
  • Articulações deformadas;
  • Fadiga;
  • Febre;
  • Perder peso sem mudar hábitos alimentares.

As primeiras articulações afetadas pela artrite reumatoide são as que unem os ossos da palma da mão com os dedos e as mesmas articulações nos pés. Conforme a doença avança, a inflamação chega nos joelhos, punhos, tornozelos, ombros e quadril.

Ter um ou vários dos sinais e sintomas acima não significa que você esteja com a doença. Mas sim que deve procurar um médico o quanto antes para ele fazer o diagnóstico e indicar o melhor tratamento para o caso.

Diagnóstico da artrite reumatoide

O médico reumatologista pode solicitar alguns exames para fazer o diagnóstico da artrite reumatoide:

Exames de sangue – identificam as inflamações por meio dos níveis de anticorpos, proteínas de defesa. O fator reumatoide e o anti-CCP (antipeptídeo citrulinado cíclico) são os anticorpos mais encontrados nos casos de artrite reumatoide.

Exames de imagem – radiografias, ultrassonografias e tomografias buscam sinais de desgaste nas articulações.

Mesmo que os exames não sejam conclusivos, o diagnóstico da artrite reumatoide não deve ser descartado pelo médico. Alguns dos resultados dependem do estágio da doença para diagnosticá-la.

Prevenção da artrite reumatoide

A prevenção da artrite reumatoide foca em diminuir as chances de desenvolver a doença. Para isso, é necessário mudar os fatores de risco que podem ser controlados:

  • Parar de fumar;
  • Manter o peso indicado pelo médico.

Tratamento para artrite reumatoide

Por ser uma doença que não tem cura, os tratamentos para artrite reumatoide têm o objetivo de controlar os sintomas, melhorando a qualidade de vida dos pacientes. Os tratamentos dependem do estágio e da gravidade da doença, podendo ser:

Medicamentos – podem ser utilizados os seguintes tipos de medicamentos no tratamento para artrite reumatoide:

  • Anti-inflamatórios;
  • Analgésicos;
  • Corticoides;
  • Drogas modificadores do curso da doença (DMCD).

Fisioterapia e terapia ocupacional – auxiliam na recuperação dos movimentos, alívio das dores e da rigidez muscular por meio de técnicas que diminuem a tensão nas articulações.

Exercícios físicos –  exercícios aeróbicos, alongamentos e exercícios de força com carga moderada melhoram o condicionamento físico e cardíaco e fortalecem as articulações. Devem ser realizados com acompanhamento profissional.

Repouso – ajuda a reduzir as inflamações. Entretanto, quando feito por muito tempo, piora a rigidez muscular. O médico deve indicar períodos alternados entre repouso e exercícios físicos.

Cirurgia – indicada nos casos em que a artrite reumatoide causa deformações muito acentuadas nas articulações ou quando o paciente não responde ao tratamento com medicamentos ou fisioterapia.

Após o diagnóstico de artrite reumatoide, o tratamento deve ser ajustado em avaliações clínicas periódicas. Na fase inicial da doença, é recomendado o acompanhamento mensal, mas depois o intervalo pode chegar a três meses. Somente o médico pode indicar o melhor tratamento para o seu caso. Converse com ele sobre as opções.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1141

Cadastre-se