Saiba como deve ser a alimentação no inverno para evitar o aumento do colesterol

Prato colorido com diferentes grupos alimentares para uma boa alimentação no inverno – Mais Pfizer

Saiba como deve ser a alimentação no inverno para evitar o aumento do colesterol

No inverno, o corpo precisa de mais energia para se manter aquecido e isso pode fazer com que as pessoas comam mais, porém de forma incorreta. Nessa época do ano, é comum consumir menos legumes, verduras, frutas e mais alimentos gordurosos e açúcares, como chocolate, queijo e embutidos. Mas, cuidado! Isso pode causar a falta de vitaminas e minerais necessários ao organismo e levar ao sobrepeso, colesterol alto e diabetes. Se você tem esse hábito ou sofre com algum desses problemas, saiba como equilibrar a alimentação no inverno.

O que evitar na alimentação no inverno?

Com temperaturas mais baixas, o corpo precisa de uma alimentação mais calórica, mas sem exageros, é necessário ter equilíbrio. Evite alimentos ricos em gordura e colesterol, tais como:

  • Carnes gordas, como picanha, cupim, contra filé e costela;
  • Miúdos, como fígado, rins e moela;
  • Pele de frango;
  • Produtos integrais derivados do leite, como queijos e manteiga;
  • Banha de porco;
  • Frituras;
  • Produtos industrializados, como refrigerante.

Atenção: leia atentamente o rótulo dos alimentos e evite aqueles com gordura trans (gordura vegetal hidrogenada) e saturada.

O que incluir na alimentação no inverno?

Preste atenção à frequência das refeições, quantidade e variedade do que você come. Priorize os seguintes alimentos:

Mix de legumes e verduras – ao natural, cozidos ou assados.

  • Ajudam a você comer menos outros tipos de alimentos, pois são ricos em fibras que aumentam a saciedade.

Carne vermelha, frango, peixe ou ovos – a proteína é fundamental na refeição.

  • No caso da carne vermelha, privilegie peças magras, como patinho, lagarto, músculo, coxão mole e duro. Quando comer frango, retire a pele.

Temperos – podem ser usados em mais quantidade para reduzir o sal no preparo dos alimentos. Segundo a Organização Mundial da Saúde, devem ser consumidas até cinco gramas de sal por dia.

  • Escolha temperos como cebola, alho, salsinha, cebolinha, coentro, sálvia, manjericão, alecrim, gengibre, orégano, entre outros.

Frutas – importantes fontes de fibras, vitaminas e minerais. As fibras ajudam a controlar o funcionamento do intestino, as taxas de açúcar e colesterol, enquanto as vitaminas e minerais regulam reações no organismo.

  • Mirtilo e uva, por exemplo, podem diminuir o risco de diabetes e têm ação antioxidante. Protegem o organismo dos radicais livres, que danificam as células.

Oleaginosas – como castanhas, nozes, amêndoas, macadâmias, avelãs e pistaches. Ajudam a melhorar o controle das taxas de açúcar, reduzir o colesterol ruim (LDL) e a pressão arterial, além de aumentar o colesterol bom (HDL).

  • Como são alimentos calóricos, devem ser consumidos com moderação. Consulte seu médico para saber a quantidade ideal para você.

Leite e derivados – queijo sem gordura, como cottage, branco e ricota, leite e iogurte desnatados atuam na prevenção do diabetes, reduzindo o risco da doença.

  • Esses produtos melhoram a função da insulina, hormônio produzido pelo pâncreas que absorve o carboidrato no sangue.

Sopas e caldos para alimentação no inverno

Geralmente nos dias mais frios, as pessoas gostam de tomar sopas e caldos, seja como complemento ou prato único. Pois, além de saborosos, servem para aquecer o corpo. Leves, nutritivos e fáceis de fazer, podem combinar carnes, legumes, verduras e ervas. Veja o que evitar nas sopas e caldos para ter uma boa alimentação no inverno:

Sopas e caldos cremosos – por exemplo, com muito queijo;

Bacon, queijão parmesão e pão para acompanhar - os três alimentos tornam a sopa ou o caldo muito mais calórico do que é necessário para satisfazer e aquecer.

Hidratação também faz parte da alimentação no inverno

A sensação de sede diminui em dias mais frios, mas isso não significa que o corpo não precise de água. Ela é sempre a melhor opção para se hidratar, mas existem algumas alternativas para variar, que levam água na composição e combinam com o clima do inverno, por exemplo:

Chás naturais – como camomila e hortelã;

Água saborizada – use frutas e ervas, como limão, hortelã, laranja e alecrim;

Sucos naturais – invista na fruta que você mais gosta;

Chimarrão – característico do sul do Brasil, o chimarrão também é uma ótima opção para se aquecer.

Atenção: não é necessário adicionar açúcar em chás, águas com sabor e sucos. Se ainda assim quiser adoçar, não exagere. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), o consumo diário de açúcar não deve ultrapassar 25 gramas. Se você tem diabetes, pode usar adoçante.

Independentemente da estação do ano, tenha uma alimentação equilibrada, prefira refeições mais naturais e coloridas. Procure fazer a própria comida, em vez de comprar pronta, e adquira hábitos saudáveis, como praticar exercícios físicos regularmente. Mas, antes, consulte o médico para saber se há algum impedimento e quais são mais indicados para você.

Referências

 

PP-PFE-BRA-1754

Mais Pfizer
19 agosto, 2019

CONTEÚDO RELACIONADO

Cadastre-se